ROCK SOUND AWARDS 2017




A edição da Rock Sound do mês de janeiro é especial. A revista realizou a primeira premiação com várias categorias como "álbum do ano", "artista do ano" e "ícone da Rock Sound". Neck Deep ganhou um prêmio e ficou em segundo em outra categoria. Confira!

Na categoria "álbum do ano", a banda vencedora foi All Time Low, com o álbum 'Last Young Renegade'. Mas o Neck Deep não ficou muito atrás não. O álbum 'The Peace And The Panic' ficou em segundo lugar no Top 50 realizado pela revista.

Sobre o álbum, a revista disse: Provavelmente, o melhor álbum de pop-punk já produzido por uma banda britânica, o terceiro disco da banda de Wrexham foi nada menos que uma obra-prima. Enquanto 'Motion Sickness' e 'Happy Judgment Day' capturaram a banda em seu melhor e mais familiar, foram seus empreendimentos em novos e audazes territórios em 'Don't Wait' (apresentando o Sam Carter do Architects) e a deslumbrante 'In Bloom' que os viu evoluir para verdadeiro estouro mundial. Inesquecível.

Já na categoria "melhor banda britânica", a banda levou o prêmio! Ben deu uma entrevista falando um pouco sobre como foi receber esse prêmio, o sucesso ascendente da banda e muito mais.

Após o mais recente ano de uma carreira que só consistiu em anos sólidos, só poderia haver um vencedor da categoria da 'melhor banda britânica' deste ano. Com uma gigantesca turnê no Reino Unido e um álbum Top Five com 'The Peace And The Panic' muito bem guardados, o vocalista do Neck Deep, Ben Barlow, revela o que tem sido estar dentro da tempestade e como 2017 poderia realmente ser apenas o começo.


Parabéns por terem sido nomeados 'Melhor Banda Britânica'! Como se sente com isso?
Ben: "É uma honra! Mesmo que apenas estivéssemos sido considerados, já estaríamos muito felizes. Há muitas bandas britânicas incríveis lá fora, mas ser coroado de "melhor" é uma grande honra. É incrível - estamos muito gratos por isso."

'The Peace And The Panic' enviou coisas para a estratosfera para o Neck Deep em 2017. Como é estar no olho daquela tempestade? Foi incrível, esmagadora, ou mesmo ambos, ao mesmo tempo?
Ben: "Tem sido como um furacão. Para citar uma de nossas próprias músicas, como um idiota, "it's been a hell of a ride". Desde o dia em que a banda começou, tem sido um pouco de um redemoinho, e agora estar fazendo o tipo de coisas que estamos fazendo é... estamos entrando no território dos sonhos. Eu não acho que teríamos imaginado que estaríamos onde estamos agora. É divertido, acabamos de dar sold out em Brixton Academy e Manchester Apollo, e nosso empresário realmente fez uma aposta com a gente há alguns anos atrás. Eu acho que foi depois do show do blink-182 que apoiamos [em 2014]. Ele dizia: "Eu vou colocar dinheiro no fato de que vocês vão liderar e dar sold out em Brixton nos próximos anos". O fato de que realmente está acontecendo agora... faz você pensar que podemos continuar e fazer coisas maiores e melhores ".

Você disse antes que [o segundo álbum] 'Life's Not Out To Get You' representou um período de felicidade ininterrupta, e que entrar em seu novo álbum 'The Peace And The Panic' foi muito mais difícil. Foi muito difícil em algum ponto deste ano?
Ben: "Não por um minuto [pelo menos]. Quando começamos a escrever, estávamos muito bem, muito focados... deixamos muito tempo para que pudéssemos escrever, adaptar e mudar. Mas então meu pai faleceu, e isso definitivamente permitiu com que eu me tornarsse mais emocionalmente envolvido no álbum. Foi imediatamente como, 'Bem, eu sei onde vou estar neste álbum'. Foi uma luta em pontos, definitivamente escrevendo músicas como '19 Seventy Sumthin' e 'Where Do We Go...', eu estava muito envolvido emocionalmente nessas músicas. Eu acho que muito mais do que nossos álbuns anteriores. Como você disse, 'Life's Not Out To Get You' foi um álbum muito positivo, que estava apenas mostrando o que estávamos passando como uma banda na época. Este álbum, penso, faz isso novamente, talvez não com tanto aspecto positivo."

Você sente que está melhor equipado agora, e talvez mais experiente, quando se trata de diferentes lados da vida e crescendo?
Ben: "Eu sempre sou o otimista eterno - um pouco realista e um pouco idealista. Eu sempre quero o melhor das coisas, e acho que sempre serei assim. Eu acho que, ao crescer, você fica... Eu não quero dizer mais pessimista, mas você fica um pouco mais realista com suas expectativas do mundo e o que você espera da vida. Enquanto você tiver esse lado idealista de você, onde você só quer o melhor para si mesmo, isso é o que é importante. Eu não acho que isso tenha mudado muito [no] Neck Deep. Sim, crescemos, mas acho que nossos fãs cresceram conosco. Isso é algo com o qual somos abençoados. Quando tínhamos 17 e 18 anos e escrevemos músicas, e nossos fãs estavam talvez em sua adolescência, sofrendo... enquanto estamos entrando nos vinte anos e aprendendo mais sobre o mundo, acho que nossos fãs estão fazendo exatamente o mesmo. Isso nos coloca em uma posição muito única para continuarmos a nos conectar com os fãs e continuar a falar com os fãs através da nossa música. Nós nos permitimos amadurecer e nos tornar um pouco mais realistas com nossas expectativas de vida, e acho que é algo que você percebe quando está crescendo."

Esse período de tempo era o ponto em que você queria realmente abrir o que você poderia fazer sonoramente com o Neck Deep?
Ben: "Absolutamente. Como estávamos falando antes, quando estávamos escrevendo o álbum, fomos apenas escrevendo normalment - sentindo, escrevendo músicas e vendo o que acontece. Nenhum de nós poderia realmente colocar o nosso dedo sobre como íamos manter o som Neck Deep, para manter esse elemento pop-punk, mas também esticá-lo um pouco para um som mais diferente, ou em alguns elementos um mais som pop. Sabíamos que queríamos esse tipo de som, mas é difícil colocar o dedo exatamente como isso vai soar até que os álbuns e as músicas comecem a se juntar. Era sempre nossa intenção fazer algo diferente. Nós firmamos o pop-punk com o 'Life's Not Out To Get You' - eu sinto que nos propusemos a escrever um álbum de pop-punk nesse - e com esse álbum, buscamos redefinir o que é Neck Deep. Eu acho que nós absolutamente fizemos isso, e agora nos deixa em uma posição em que podemos fazer quase tudo o que queremos."

O álbum experimentou um enorme sucesso comercial, desembarcando no Top Five em ambos os lados do Atlântico. Você imaginava isso já nos primeiros dias da banda?
Ben: "Não, definitivamente não. Desde o início da banda, tivemos pessoas dizendo que algo especial estava acontecendo, mas nós éramos um pouco cautelosos. Nós estávamos muito conscientes de que as pessoas talvez estivessem nos fazendo de burros, então mantivemos uma cabeça bastante realista sobre nós. Desde o primeiro show que tocamos, cada turnê vem melhorando e melhorando. Tenho certeza de que poderíamos sair de cada turnê dizendo: "Sim, isso é ótimo, podemos fazer isso para sempre", mas parece estar ficando cada vez maior. Estou tão impressionado como todos os outros, e estou vivendo isso! Nunca pensei que chegaríamos ao nível em que estamos, mas estamos aqui agora e o Neck Deep nunca foi de se afastar de um desafio ou se afastar da progressão e nos empurrar ainda mais."

Vocês ainda são uma banda muito jovem, mas já fizeram muito. Já pareceu ser demais, muito cedo?
Ben: "Conosco, sempre foi tipo, "existe pressão, todos os olhos em nós" desde que começamos. Eu acho que acabamos de aprender a viver com isso e quase nos divertimos com a pressão. Eu acho que o fato de sermos tão jovens significa que temos mais tempo. Quem sabe onde estaremos dentro de 10 anos? Nunca mais seremos tão jovens, mas já teríamos alcançado tanto naquela época que, naquele momento, podemos olhar para trás e ficar muito felizes com nós mesmos. Isso é difícil para as bandas nos dias de hoje. Isso não acontece com todos, e temos muita sorte de acontecer com a gente e tivemos o sucesso que tivemos. Significa apenas que podemos esperar um futuro maior e melhor, e mais brilhante ".

No início deste ano, vocês tiveram outro Warped Tour realmente bem sucedido na América. Isso tem sido um fator real no sucesso internacional da banda?
Ben: "Eu acho que uma banda britânica indo [para a América] e ter o sucesso que tivemos na Warped Tour é enorme. Eu não sei quando foi a última banda a fazer isso. Talvez Bring Me The Horizon ou alguém assim? Talvez essa seja uma das coisas que surpreende as pessoas sobre o Neck Deep, de uma perspectiva interna e externa. Tenho certeza de que muita gente está pensando, 'Como eles são tão grandes nos EUA?', ou eles nos olham no Reino Unido e eles pensam 'que seja'. Eu acho que isso faz parte do enigma de Neck Deep: "Como diabos eles conseguiram fazer isso?" Eu realmente não sei, eu também não posso colocar meu dedo nisso também. Penso que a Warped Tour definitivamente teve uma grande contribuição sobre isso, mas a primeira vez que saímos para a América foi um headliner, um headliner cheio, e mesmo isso foi realmente bem-sucedido. Temos sorte de que nossa música resista às pessoas do outro lado do oceano."

Vocês já começaram a ter influência nas bandas - você pode ouvir elementos do seu som em novas bandas o tempo todo. É um sentimento estranho?
Ben: "É muito estranho, mas também um sentimento muito orgulhoso. Sinto que fomos inspirados pelo blink-182, Green Day, Sum 41 etc, então, se pudermos ser uma banda que inspire a próxima onda de bandas, isso é incrível. Eu apenas acho que o mundo se move muito mais rápido em todos os aspectos do que nunca. Talvez, no momento em que foi o blink e o Green Day, há 10 ou 20 anos, talvez agora só precise de cinco anos antes do próximo lote de bandas começarem a surgir, influenciando outras bandas. Já existem algumas bandas que foram nomeadas inspiradas em músicas do Neck Deep - acho que é fantástico. Muitos deles tendem a ser bandas muito jovens, mas, se um deles acabar chegando e se tornar realmente bem sucedido, e nos cita como uma grande influência, isso é ótimo. Essa é uma coisa muito linda."

Dito isto, você acha que encontrar um núcleo único para o som da sua banda ainda é o mais importante no geral?
Ben: "Eu acho que é importante, mas eu não acho necessariamente que seja o mais importante. Apenas basta escrever canções que as pessoas gostam, escrevendo músicas que falam com as pessoas. Nós tínhamos "pop-punk genérico" como nosso slogan por um longo período de tempo - não estávamos tentando ser nada além de uma banda pop-punk. Enquanto você escreve música que fala com as pessoas, isso é absolutamente a coisa mais importante, e é isso que tentamos fazer ao longo de toda a carreira. Enquanto você estiver colocando seu coração e alma nisso, é isso que as pessoas verão e gostam."

Há um argumento genuíno a ser feito que fora, talvez, Bring Me The Horizon, Neck Deep é a maior banda de rock do Reino Unido por aí. Isso é algo que vocês realmente contemplaram?
Ben: "Isso é algo que absolutamente nos deixa loucos. Isso é algo que eu nunca pensei que estaria ouvindo, mas, como com muitas outras coisas, a forma como Neck Deep sempre se aproximou das coisas não é se envolver nela. Eu acho melhor e mais progressivo para você e para a banda não se concentrar nisso. Nós nunca fizemos isso e temos a posição em que estamos, então realmente devemos continuar com o que estamos fazendo. Tenho a honra de ouvir isso, mas não acho que vamos pensar muito nisso."

Indo para 2018, parece que isso poderia ir a algum lugar agora? Será que muitas portas diferentes estão abertas para a banda?
Ben: "Com certeza - agora nós realmente podemos fazer o que queremos. Nós sempre seremos Neck Deep, sempre nos manteremos em nossas raízes e ficaremos com o que faz do Neck Deep, o Neck Deep. O que acontece a seguir é... bem, se 'The Peace And The Panic' tenha feito tudo isso por nós, e 'Life's Not Out To Get You', fez tudo isso para nós, espero que o próximo passo seja realmente a diferença. Não consigo colocar o dedo sobre o que vamos fazer, mas cruzaremos essa ponte quando chegarmos à ela. Mas definitivamente parece muito bom!"









Para comprar a revista, clique aqui.
Neck Deep Brasil. Tecnologia do Blogger.